Josias Gomes explica destino do polêmico empréstimo ao governo

Josias Gomes explica destino do polêmico empréstimo ao governo

Josias Gomes explica destino do polêmico empréstimo ao governo

O deputado federal licenciado e secretário de Relações Institucionais do governo do estado, Josias Gomes, viveu um início de semana turbulento com a Assembleia Legislativa apreciando três projetos do Executivo com forte atuação da oposição na Casa. A votação das proposições durou 36 horas e o próprio secretário chegou a ir ao plenário levar “um abraço de agradecimento” enviado pelo governador Rui Costa, que se encontra em viagem oficial pela Europa. Em entrevista exclusiva ao Bocão News, nesta quarta-feira (7), o responsável pela articulação política do governo explica o polêmico projeto que prevê a contratação de um empréstimo de R$ 1,6 bilhão junto ao Bird, o Banco Interamericano de Desenvolvimento.

“Os recursos são para uma série de eventos que o governo quer fazer na saúde na infraestrutura, enfim, uma diversidade de possibilidades que existe e todas essas possibilidades foram amplamente discutidas com a Assembleia e inclusive com a oposição. Não escondemos nada, não temos nenhum motivo para esconder nada do povo baiano”, descreveu.

Durante o bate-papo, Gomes também falou sobre os entraves políticos que lida diariamente e afirmou que não está descartada a possibilidade de um secretário ser liberado do governo para disputar a prefeitura de Salvador.

Assunto que tem deixado os deputados na Alba enfurecidos, as emendas parlamentares que ainda não foram liberadas também foi tratada na conversa. Gomes alega dificuldades econômicas, mas diz que o governo estuda entregar máquinas agrícolas e veículos escolares para os deputados como forma de compensar a falta do repasse.

Confira a entrevista na íntegra:

Bocão News – Secretário, qual avaliação que faz do embate ocorrido na Assembleia Legislativa da Bahia na votação dos três projetos do governo estadual, em uma discussão que o senhor chegou a intervir diante da resistência da oposição?

Josias Gomes – Foi positivo. Os três projetos versavam sobre assuntos diferentes, não tinham nenhuma relação entre si, mas que tinham forte impacto no estado. À bancada do governo, nós tomamos a iniciativa de explicar os projetos antes e ela tinha muita consciência da importância de cada um dos projetos para o governo. Essa é uma prova da relação nossa com a Assembleia de que ela é positiva. Um fruto dos que esperamos na hora que precisamos da bancada. Porque ela estava consciente, conhecia a matéria e sabia muito bem em que estava votando. Ontem pela manhã, em conversa com o governador relatei o acontecido nessa relação nossa com a bancada e ele me pediu para ir lá na Assembleia agradecer pessoalmente a cada um dos nossos deputados. Do ponto de vista da oposição, apesar de vocês terem destacado esse empréstimo de 1,6 bilhão de reais do Banco Interamericano de Desenvolvimento, o Banco Mundial, mas na realidade, se você observar, todos os projetos passaram por um processo de obstrução muito forte. O primeiro projeto que foi sobre os créditos não tributários, ele foi aprovado à 1h da madrugada de segunda para terça-feira (6). E a obstrução continuou e só viemos aprovar o segundo que foi sobre a alteração no regime previdenciário do estado quase 13h da tarde. Só no final da tarde é que aprovamos o terceiro que foi o empréstimo. Como na madrugada e pela manhã, talvez vocês não estivessem ainda atentos, acabou que o projeto do empréstimo virou uma discussão como se ele fosse o que mais chamava a atenção. Na verdade, é um projeto no qual estamos pedindo a autorização para tomar o empréstimo na ordem de US$ 400 milhões ao Banco Interamericano de desenvolvimento, mas que já estava tramitando há bastante tempo. É do conhecimento da Assembleia o objetivo do empréstimo, é bastante conhecido, versa sobre uma gama de atividade que o governo pretende fazer.

Bocão News – Em que será investido esse dinheiro exatamente? Porque esse era o questionamento que a oposição fazia o tempo todo durante a discussão…

Josias Gomes – Os recursos são para uma série de eventos que o governo quer fazer na saúde na infraestrutura, enfim, uma diversidade de possibilidades que existe e todas essas possibilidades foram amplamente discutidas com a Assembleia e inclusive com a oposição. Não escondemos nada, não temos nenhum motivo para esconder nada do povo baiano. É do conhecimento de todos que nós somos um dos poucos estados que temos condições de tomar empréstimo e daí decorre essa necessidade, porque vivemos em uma crise tremenda e temos que recorrer, já que temos capacidade de tomar empréstimo, a empréstimo para poder investir, uma vez que nossos recursos próprios não estão em uma situação confortável para área de investimento. É disso que se trata e a oposição sabe.